19.7.09

AuTossabOtagem

Não entendo por que me sabotei. De novo.
Lá estava eu, dentro daquele avião, embrulhada na bolha de aço.
Depois de três horas percebi o perigo acariciando minha mão. Ela.
Ardilosa, me levou no papo. Enrolada em lençóis eu cedi improvisando passos de tango sobre a cama.
Mas em plena El Ateneo, um show de mulherzinha possessiva. Por que as mulheres que se apaixonam por mim são tão loucas? (eu rio) ela enlouquece, (viro a cara) ela segura meus cabelos e me força a ver o que mais me aborrece: uma mulher enciumada, lúcida e dolorida pela desilusão romantiquinha não correspondida.
Ela me quer em sua claustrofóbica bolha amante pirada.
Morro de tédio. Uma vontade de deixá-la ali e seguir adiante na avenida Santa Fé. Fico enjoadinha pela falta de ar que me provoca. Eu tenho um preço, Buenos Aires. Ela pagou, eu vendi. Nem sempre os negócios são bons nas relações humanas.
Na avenida Santa Fé ela aperta meu braço, cobra! Pergunto-me o que faço comigo. Os argentinos são homens lindos, a tarde tem um tom laranja enevoado, e enquanto penso em mim, me encanto com a arquitetura, ela fala sem parar... caminhamos, eu ouço tudo sem vontade de responder. Penso em passagens do livro Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Marçal Aquino, em suas citações de Schianberg Nenhuma vida está completa sem um grande desastre. Penso na beleza do livro: paramos. Ela chora enquanto fala: meu corpo se dobra violentamente para frente e vomito em suas botas estilosas.

El Ateneo, a segunda livraria mais linda do mundo. Queria ficar perdida naquelas estantes, encalacrada no silêncio de um livro fechado.

Mulheres apaixonadas criam muitas expectativas.

Acho que não posso abrir mão de mim. Não com ela. Não hoje, que vivo o sonho de hibernar socialmente para não morrer nestes tempos líquidos.

6 comentários:

  1. Salve oh Rainha de Safo!
    Teu súdito anseia por encontrar-te em breve.
    Você é sempre, no mínimo, ótima!
    Mas realmente... nas relações humanas... a resposta está realmente em Nietzsche, ou no conceito homeopático da Arnica: você, e apenas você, deve ter o desejo de doar ou de buscar alguma forma de relação. Você não pode esperar sua felicidade ou resposta no outro. Mesmo quando você quer dar o cu para o outro, não se pode exigir um caralho intumescido em troca, por mais gostoso que seja o seu cu.
    E, para não mudar o assunto, preciso urgente de seu contato (e-mail), não o encontro em lugar algum... estou em férias, em Araras, e tenho uma seguidora de seu blog que deseja conhecê-la pessoalmente!

    ResponderExcluir
  2. Ando desanimada, sem vontade de fazer nada, sem saber direito do que eu gosto,do que eu preciso, nao sei qual é meu tipo de filme favorito, de música, de passeio, ando sem identidade...
    Mas tem uma coisa, a qual tenho ânimo de fazer: ler seu blog! Entro frequentemente pra ver se tem textos novos. Adoro nao só as histórias e temas em si, mas a forma como vc os escreve. Obrigada por me dar um momento de satisfação!
    Um abraço,
    Psi.

    ResponderExcluir
  3. por isso, continuarei a escrever.
    "Niilismo feminino", um dos proxímos temas. me add no msn

    ResponderExcluir
  4. Sensasional! Como sempre...

    ResponderExcluir
  5. mera curiosidade: qual seria a livraria mais linda do mundo?

    ResponderExcluir
  6. O jornal inglês The Guardian publicou uma matéria com a relação das dez livrarias mais belas do mundo. as três primeiras colocadas na relação do Guardian são:
    (1) Selexyz Dominicanen - Holanda. A igreja dominicana de 800 anos localizada na cidade medieval de Maastricht na Holanda, que era utilizada como um depósito de bicicletas há pouco tempo atrás, foi convertida em uma livraria pelos arquitetos de Amsterdam Merkx + Girod. O espaço, que foi inaugurado pouco antes do último natal, manteve as características e o charme de uma antiga igreja, juntamente com uma moderna decoração minimalista. A iluminação foi o toque final para manter o equilíbrio neste templo de livros. É o que podemos chamar de uma livraria celestial
    (2) El Ateneo - Argentina. Em fevereiro de 2000, o edifício do antigo cine-teatro Gran Splendid de Buenos Aires foi arrendado por dez anos para ser transformado em uma livraria. A essência do trabalho consistiu em respeitar, conservar e restaurar a construção original, de 1903, adaptando-a às necessidades da nova função. Foram realizadas grandes escavações sob a platéia e o palco, para criar a sala de livros infantis e os depósitos do subsolo. O café - também utilizado para a realização de palestras - foi instalado no palco, cujo teto recebeu vidro transparente para permitir a entrada de luz natural.
    (3) Livraria Lello - Portugal. A livraria Lello Fundada em 1906 e situada na Rua das Carmelitas, cidade do Porto, estende-se por dois andares. O edifício, projetado por Xavier Esteves, foi construído em estilo neogótico e as enormes estantes iluminadas guardam cerca de 120 mil títulos diferentes em várias línguas. No interior da livraria, o visitante sente-se envolvido por um ambiente acolhedor. Uma vasta sala, com uma galeria que dá acesso a uma escada ornamental, onde correm algumas mesas que servem para exposição dos livros. Bancos em madeira e revestidos de couro e estantes em toda a sala perfazem o espaço interior próprio de uma livraria atual, mas que guarda a memória do passado.
    A lista das 10 mais:
    1)Selexyz Dominicanen (Holanda);
    (2)El Ateneo (Argentina);
    (3)Livraria Lello (Portugal);
    (4)Secret Headquarters (EUA);
    (5)Borders (Escócia);
    (6)Scarthin's (Inglaterra);
    (7)Posada (Bélgica);
    (8)Pendulo (México);
    (9)Keibunsya (Japão);
    (10)Hatchards (Inglaterra).
    Fonte: http://mundodek.blogspot.com/2008/01/as-livrarias-mais-belas-do-mundo.html

    ResponderExcluir

Seguidores

visitas não brocham

Arquivo do blog

DEDOS NÃO BROCHAM

A. SAFRA

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Tá dito no não dito. Contatos: e-mail: dedosnaobrocham @gmail.com twitter: @dedosnaobrocham facebook: Ale Safra

whos.amung.us