20.1.10

Moral da história: nenhuma

Tati,
Seus olhinhos vesgos me renderam aos desejos nossos. Queria mais com você. Mas aquela chuva afogou vontades. Difícil ter que trabalhar e deixar sua cama, seu cheiro de calda de chocolate.

Dia passou, no metrô lotado tenho na cara uma alegria que contrasta o mau humor dos outros. Sei dos motivos do mau humor deles: depois de mais um dia de trabalho explorado, de tanta chuva e falta de perspectiva; voltam amargos, mas isso não deveria ser normal. Você não acha?
Se pudesse, contaria a eles nossas tempestades de prazeres. Mas segredo é bom no pé do ouvido. Chega mais perto.

Olho na cara dessas pessoas do metrô há tempos. Parece que estão mais cansadas. Será que estão prestes a parar a autossabotagem e assumir um pouco mais de política e de luta em suas vidas? Vão parar de correr atrás apenas do pão pra desejar a padaria?

Será - Tati que dorme tão bela -, que agora esse povo aprende a brigar e parar com tanta servidão voluntária? Você sabia que tirando mais ou menos duas horas de trabalho diário, o resto é lucro para o dono da empresa? Não é justo: deixar sua companhia adorável pra gerar lucros onde um só terá o direito de gozar tanta perspectiva de vida.

Mas o tempo de servidão piora e a crença que Deus ajuda mutila a capacidade de sublevação, e ombros pesados só querem chegar em casa e ver tv.
Acho que entendo porque velhos têm os cantos da boca aborrecidos. Eles não se entregaram ao desfrute dos seus seios, nem da sua pele jambosa ou dos seus cabelos encaracolados. Simplesmente viveram vidas aborrecidas, exploradas sem entender de onde vem o mal estar.

Hoje os cultos lotados de trabalhadores não rezam mais, apenas imploram por saúde, prosperidade e não a Deus, mas ao Jesus executivo personificado nos pastores prósperos.

Antes beijavam as mãos daqueles que lhes roubavam coragem pra sublevar, pra adquirir conhecimento e discernir o roubo vil registrado na CLT - sim febre minha - a igreja católica nos roubou. Hoje, essas igrejas evangélicas pipocam feito catapora e prometem que Jesus executivo está ao seu lado pela bagatela dizimal. Ou seja – fresca pele que me chama -, a servidão tem novas caras e manhas, mas ainda é a mesma.
Eu tenho calda de chocolate.

5 comentários:

  1. Jesus, Maria e José, menina. Se não tem medo do fogo eterno, não?
    Entedi sua proposta e quero dizer que gostei da sua atitude. Gostei mesmo de ler esse seu blog. E tenho a dizer dos evangélicos que eles pensam que Deus é surdo. Pq griam tanto?
    Nélio

    ResponderExcluir
  2. Concordo com vc!
    Não q concordar queira dizer algo ou seja salutar rsrs
    Mas nunca entendi nem aceitei ter q trabalhar pra pagar contas e poder comer, se vestir, passear rrs
    Fazer o que gostamos tinha q ser pago, prq fazer o que se gosta tras felicidade ao mundo, deve ter algo errado por ai..
    adorei seu blog!

    ResponderExcluir
  3. Ciclo da vida se renova a cada 48 horas semanais, como determina nossa CLT. Quatro horas de viagem, quinze minutos de prazer. "Teatro dos vampiros"

    ResponderExcluir
  4. Eu queria muito falar, sei lá, gritar bem alto isso que você disse: 'Olho na cara dessas pessoas do metrô há tempos. Parece que estão mais cansadas. Será que estão prestes a parar a autossabotagem e assumir um pouco mais de política e de luta em suas vidas?'

    Grandes chances de a cara feia ser de autodecepção.

    Panis et Circenses.

    Parabéns pelo texto!
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Estou em casa, estou cansado, estou com minha família, mas chateado. Queria que tudo fosse diferente e sei que só eu posso fazer a diferença, sou eu o culpado, sou eu o meu próprio salvador, é muita responsabilidade. Alex - Belo Horizonte.

    ResponderExcluir

Seguidores

visitas não brocham

Arquivo do blog

DEDOS NÃO BROCHAM

A. SAFRA

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Tá dito no não dito. Contatos: e-mail: dedosnaobrocham @gmail.com twitter: @dedosnaobrocham facebook: Ale Safra

whos.amung.us