15.9.10

A insustentável leveza do "se"


cabelos seus fizeram a luz sumir dos olhos meus e encheram minha memória de um pouco mais desse cheiro de mulher voluptuosa

apaixonadenhas entregamos  risos em folhas de cama instantes, assim nos iludimos na melhor de nossas tardes constantes a delícia dessas certezas vaporosas

sonolenta em folhas verdes deveria [quando anunciou sua partida] implorar para eu dormir entre suas coxas roliças. estaríamos salvas. se...


insustentável instante onde pula o "se" entre a solução e a tragédia que nos agarra.

e se! e se? e se... o mundo, você eu e outros infinitos e  imperceptíveis mecanismos desta sequência delicada e frágil das possibilidades entre ser e o não-ser

a meio passo do ato rumo ao instante inefável e uma palavra [essa que risca a garganta: fica] perde sentido e vira pedra

se
é
coisa
demais
entre nós

Um comentário:

  1. Bonjour Ale,

    Retribuindo a visita e o comentário,
    parabéns amei o "A insustentável leveza do "se" ".

    Estou seguindo seu blog.

    Já criei um link do meu ao seu:
    http://souriresetlarmes.blog.fr/disp/bloglist/73014/

    Obrigada pela oportunidade de rever o seu trabalho.

    Bisou

    Melina Coury
    http://souriresetlarmes.blog.fr/

    ResponderExcluir

Seguidores

visitas não brocham

Arquivo do blog

DEDOS NÃO BROCHAM

A. SAFRA

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Tá dito no não dito. Contatos: e-mail: dedosnaobrocham @gmail.com twitter: @dedosnaobrocham facebook: Ale Safra

whos.amung.us