6.9.10

um homem só



de repente
[repentinamente]
num sopro sumiu toda gente
sobrou ele, num canto assombrado
procurou mais um e nenhum foi encontrado
desistiu de chamar, gritar, pelejar pra achar
estava  sem semelhante e aproveitou [por muito tempo] a liberdade que isso trás

6 comentários:

  1. peguei esse fresquinho
    quem nunca sentiu solidão
    e ainda tirou proveito da situação.

    ResponderExcluir
  2. Adorei, claro!

    Vc me inspira, sempre!

    Beijo enooorme.

    ResponderExcluir
  3. Nossa que blog incríiiiiiveeeeellllll!! Já está nos anais do Querida Bolacha! haha Um beijo, querida!!!

    ResponderExcluir
  4. É um olhar positivo da solidão. Não, não é bem solidão, é solitude.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Muito bom! Em algum momento, teus versos me lembraram o meu "Sonhou"

    http://euoutroeu.blogspot.com/2009/10/sonhou.html

    e meus primeiros dias morando sozinho.

    ResponderExcluir

Seguidores

visitas não brocham

Arquivo do blog

DEDOS NÃO BROCHAM

A. SAFRA

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Tá dito no não dito. Contatos: e-mail: dedosnaobrocham @gmail.com twitter: @dedosnaobrocham facebook: Ale Safra

whos.amung.us