6.6.11

DIVERSOS AFINS



Pintura de Gabriel Ferreira


QUINQUAGÉSIMA SÉTIMA LEVA, tô nela. confira! DISSIDENTE [Ale Safra] no


DIVERSOS AFINS

CICERONEANDO 

por Diversos Afins


Perto de atingirmos nosso primeiro quinquênio de realizações, orgulhamo-nos de poder celebrar com um desejo incessante as mais variadas expressões culturais em torno da revista. De todo o já vivido, importa saber que nada nasce encerrado por uma ideia de completude, mas sim de uma vontade considerável de aprender com os ensinamentos dispostos pelo caminho. De fato, caro leitor, as lições são tiradas de cada verbo exprimido pelos autores, de cada signo representativo das imagens até hoje expostas por artistas plásticos e fotógrafos. Não há como descobrir o mundo se não passarmos pela leitura contida nos homens e nas coisas. É justamente esta possibilidade de revelação que é capaz de dar sentido mais consistente à nossa existência. Tal leitura deve ser democrática, autônoma, leve, tudo sem deixar de lado as devidas referências que norteiam o pensamento artístico. Estas últimas, mais do que um mero conjunto de regras formais ou acadêmicas, andam bem se não subestimarem as percepções agregadas no olhar de cada um de nós. E como nos diz o escritor Geraldo Lima, nosso entrevistado da vez, é preciso deixar pulsar as verdades que habitam os meandros de um texto, sendo que estas decorrem de um mergulho bem fundo na obra que está diante de nossos olhos. Sendo assim, não é possível passarmos ilesos face aos arrebatamentos poéticos de Vera Lúcia de Oliveira, Ale Safra, Alberto Boco, Carolina Caetano, Alba Liberato, Alexandre Bonafim e Carlos Sánchez. E o que dizer das representações de mundo contidas nas telas de Gabriel Ferreira? Talvez uma forma de reinventarmos a nós mesmos de modo sublime. Noutro ponto, a crônica de W. J. Solha vai mexer no delicado terreno da angústia no processo de criação artística, revelando o pathos presente nos interstícios de tão exasperada jornada. Nos contos de Regina M. A. Machado eIsaias de Faria, a presença intempestiva do diálogo que se sobrepõe aos ruídos das relações. A cinefilia de Larissa Mendes elenca razões para considerarmos Biutiful como uma película que sequer deve passar em branco. Disponibilizar uma nova Leva é como ansiar pela redescoberta do mundo. Sejam todos bem-vindos a um novo percurso!

*Comentários podem ser feitos ao final da Leva, no link EXPRESSARAM AFINIDADES.

2 comentários:

  1. A Leva é uma revista? Sobre o que? Belo quadro. :)

    ResponderExcluir
  2. Gui, entra lá e descubra. tem autores e assuntos ótimos. é uma ótima revista eletrônica.

    ResponderExcluir

Seguidores

visitas não brocham

Arquivo do blog

DEDOS NÃO BROCHAM

A. SAFRA

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Tá dito no não dito. Contatos: e-mail: dedosnaobrocham @gmail.com twitter: @dedosnaobrocham facebook: Ale Safra

whos.amung.us