28.9.15

e s p e r a r

Evgen Bavcar

esperar que o vestido desça pelo corpo
e a maquiagem não borre nos olhos
os cabelos obedeçam os dedos
e os sapatos não machuquem

esperar o fim da cirurgia
esperar o pagamento
esperar o tempo do alimento cozinhar

esperar seu olhar encontrar o meu
o beijo arrefecer a ira
dar paz ao desespero do meu corpo

esperar o sim do cliente plástico
o fim do expediente na sexta-cinza
sobreviver a cidade feira

esperar da palavra o não estilete
a furtar furar ou afundar
o pato de borracha da minha existência

esperar não me perder das horas
do calendário ou o assunto da roda
esperar um passo sem obstáculo

esperar os resultados dos exames
da reconciliação. da mensagem
do dia especial me contemplar a sorte

esperar o “tudo ficará bem vai dar tudo certo”,
deus ficar comigo e pensamento positivo
ser concretude neste mar de gente

esperar a insônia passar
a madrugada não libertar fantasmas
a pele deslembrar sua foto

esperar poema chapa
palavra carne manga
brisa cheiro chuva

esperar o amor perdido se perder
o fim das obrigações de uma crença
a caverna do seu quarto me abrigar por uma noite

e s p e r a r a luz não acabar
a água voltar
o mistério não ser revelado

esperar estalactite cardíaca
se romper e cravar meu estômago
perfurar meu intestino
e dormir







Um comentário:

  1. Todos nós esperamos algo desta vida!

    Eu esperarei novos poemas-sonhos seus!

    ResponderExcluir

Seguidores

visitas não brocham

Arquivo do blog

DEDOS NÃO BROCHAM

A. SAFRA

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Tá dito no não dito. Contatos: e-mail: dedosnaobrocham @gmail.com twitter: @dedosnaobrocham facebook: Ale Safra

whos.amung.us